Madá Negrif

Madá Negrif | Foto: reprodução
Madá Negrif | Foto: reprodução

Madalena Bispo, mais conhecida como Madá Negrif, é designer de moda e a estilista que assina as peças da Negrif. Antes de abrir sua loja na Avenida Carlos Gomes, Centro de Salvador, Madá  vendia roupas na sacola.Cresceu vendo a mãe costurar suas roupas. Gostava de se vestir diferente dos outros, e quando adulta decidiu que também queria fazer uma moda diferente para as pessoas vestirem.

Em entrevista realizada na Negrif, a baiana falou ao Cor & Estilo sobre moda afro, projetos e as “sacolas chiques” que tem produzido no Rio de Janeiro. Leia na íntegra.

Cor & Estilo | Como começou a produzir moda?

Madá Negrif | Confeccionava e vendia, mas na sacola, não tinha um ponto fixo. Fui a maior parte do tempo sacoleira, antes e depois de fazer graduação. A loja veio como consequência do caminho, então tem dois anos que abri, mas já estou no mercado há 13 anos.

Cor & Estilo | Também era na temática moda afro ou você vendia outros tipos de roupa?

Madá Negrif | Sempre nessa linha. Mas depois amadureci com a ideia das estampas, não tinha as bonecas que estampo nas roupas, isso veio depois da Negrif. Trabalhava com algodão cru, com linho, bolsos grandes, roupas amplas.

Cor & Estilo | Como define a moda que produz?

Madá Negrif | Ela é caracterizada de moda afro pelas pessoas que observam, porque são roupas mais amplas, muito coloridas, mas não trabalho diretamente com tecidos africanos e mesmo que trabalhasse exclusivamente com eles, teria que ter uma releitura porque estamos no Brasil. A gente bebe na fonte.  Mas procuro criar peças que se identifiquem com as ruas de Salvador.

Cor & Estilo | E como surgiram as estampas das bonecas?

Madá Negrif | Só trabalhava com tecido flame, quando descobri que poderia trabalhar com malha percebi que precisa de algo exclusivo para não estar produzindo modinha. Surgiram então as estampas de São Jorge Black e de uma mulher black com dreads. As pessoas gostaram e hoje tenho mais de 40 estampas.

Cor & Estilo | O que é  “Sacola Chique”?

Madá Negrif | É quando coloco as roupas na mala e vou vender em outros estados. Estava no Rio de Janeiro semana passada e voltei com as malas vazias.

Cor & Estilo | Como se dá o processo de criação de suas peças?

Madá Negrif | Gosto de olhar os tecidos. Quando estou comprando defino o que vou fazer com cada tecido. O meu processo criativo começa quando entro em contato com os tecidos, o que ele remete para mim. Quando o vejo já imagino a peça que vou fazer e defino a metragem que vou comprar.

Cor & Estilo | Qual análise que faz do mercado de moda afro em Salvador?

Madá Negrif | Tem gente que faz roupa e não gosta de ser caracterizada como moda afro. Acho que é um mercado pequeno, temos pessoas que produzem coisas interessantes. Temos clientes em comum. Quem compra Negrif, compra outras marcas também,  porque se identificam. Mas a moda afro ainda não é um termo que funcione. São pessoas que produzem roupas que não tem uma moda determinada afro, não há uma imposição dessa nomenclatura.

Anúncios